preenchimento-labial-o-que-e-preco-e-quem-pode-fazer

Preenchimento labial: o que é, preço e quem pode fazer?

31/07/18 - Minha Vida


É possível que você conheça no mínimo uma famosa que já tenha aderido ao preenchimento labial, procedimento polêmico que gera muitas dúvidas e comentários na internet.

Se você tem interesse em fazer o preenchimento labial (ou apenas busca entender melhor o assunto), prepare-se para sanar todas as suas questões abaixo e garantir que a escolha certa seja feita.

O que é? O preenchimento labial é um procedimento estético feito com agulha ou cânula para a introdução de substâncias na região dos lábios com finalidade de delinear seu contorno, aumentar o volume ou até mesmo projetá-los. É considerado um procedimento minimamente invasivo e não uma cirurgia, já que não necessita de centro cirúrgico para a realização, podendo ser feito em consultório médico.

Tipos Existem três tipos de preenchimento labial: os temporários, os semi-permanentes e os permanentes. Hoje em dia, o preenchimento labial temporário feito com ácido hialurônico (AH) é o mais recomendado entre os especialistas. Saiba mais:

Temporários: são feitos com ácido hialurônico, um material seguro e totalmente aceito pelo nosso organismo, ou com gordura autógena, que é retirada do próprio corpo (de regiões como culote e face interna do joelho) ou obtida através de lipoaspiração.

"Ao utilizar gordura autógena, o corpo absorve 30% a 40% do enxerto, mantendo o restante. Porém, por se tratar de células vivas, essas células de gordura podem aumentar caso a pessoa ganhe peso, o que resulta no aumento excessivo dos lábios. Logo, o ácido hialurônico torna-se uma alternativa mais eficaz", diz o cirurgião dentista Rogério Marques, da Clínica Morita Marques.

Semi-permanentes: já estes são feitos com hidroxiapatita de cálcio e poli lactona. Como podem provocar a formação de granulomas e nódulos, não são indicados para uso nos lábios.

Permanentes: neste se usa silicone, PMMA ou metacrilato, substâncias absolutamente sintéticas, que não são produzidas pelo corpo. Elas podem provocar reações imediatas ou tardias, pois não conseguem ser absorvidas pelo organismo.

Cuidado com preenchimento labial permanente Segundo o cirurgião plástico Luís Felipe Maatz, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, substâncias como PMMA e hidrogel não são recomendadas como preenchedores, pois são produzidas a partir do plástico e acrílico, materiais que não são absorvidos pelo corpo e podem causar graves complicações, como reações inflamatórias e infecções crônicas difíceis de tratar.

"O problema de se colocar uma substância permanente no lábio é que, depois de 10 ou 20 anos, pode passar a não fazer mais sentido que esteja ali", diz o dermatologista Alberto Cordeiro, da clínica Ateliê Oral.

Quem pode fazer? De acordo com o dermatologista Alberto Cordeiro, o preenchimento labial é indicado para:

Pessoas com pouco volume labial que não se sentem satisfeitas com isso Pessoas que estão incomodadas com os sinais de envelhecimento Pessoas com patologias orais que passaram por algum processo dentário e acabou perdendo volume na projeção do lábio. Antes da realização do procedimento, o especialista avalia o estado de saúde do paciente que deseja melhorar a estética ou corrigir algum defeito nos lábios. Não há idade apropriada para fazer o preenchimento labial, mas é recomendado que a decisão seja tomada depois dos 18 anos. Caso contrário, o menor de idade deve avaliar a situação junto dos responsáveis e do médico, para que todos entendam melhor a finalidade buscada.

Grávidas podem fazer preenchimento labial? Os especialistas não recomendam o preenchimento labial durante o período gestacional. "Não há pesquisas que apoiem a segurança ao uso de preenchedores nesse período", conta o cirurgião dentista Rogério Marques.

Como é feito o preenchimento labial Segundo o cirurgião plástico Luís Felipe Maatz, no caso do ácido hialurônico, primeiro é aplicada uma anestesia sob os lábios do paciente. Após alguns minutos, injeta-se o produto com uma agulha ou microcânula para dar volume, definir o contorno ou corrigir defeitos dos lábios - tudo depende da queixa do paciente. Normalmente, o produto já vem dentro de uma seringa de 1 ml, junto com agulhas. "A substância é aplicada no contorno, arco do cupido, filtro labial e tubérculos labiais", explica o cirurgião dentista Rogério Marques.

Quando o preenchimento labial é feito com enxerto de gordura (da própria pessoa), há necessidade de preparo da gordura antes do procedimento, e depois ela é injetada com microcânula após a anestesia local nos lábios.

Antes de realizar o preenchimento labial, procure saber com o especialista qual produto ele irá aplicar. "Na ficha médica, ele escreve o produto usado e a área a ser tratada. O preenchedor tem um número de lote na seringa. O médico deve guardar esse selo no prontuário do paciente", indica a dermatologista Ana Lucia Recio, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Contraindicações O preenchimento labial é contraindicado em casos de:

Alergia ao ácido hialurônico Pessoas com doenças auto-imunes Feridas ou herpes nos lábios Doença oncológica Lúpus Eritematoso Sistêmico Gravidez Pessoas com pneumonia ou alguma infecção. Qual profissional procurar Você deve buscar um médico especialista e certificado como cirurgião plástico, dermatologista ou cirurgião dentista. Procure saber se o especialista escolhido é membro de alguma sociedade ou associação médica.

De acordo com o cirurgião dentista Marcelo Kyrillos, da clínica Ateliê Oral, é de extrema importância que o preenchimento labial seja feito com uma equipe multidisciplinar para que haja uma harmonia facial no procedimento.

Duração do ácido hialurônico O efeito do preenchimento labial feito com ácido hialurônico, que é o mais recomendado, dura de seis a 12 meses. Vale lembrar que isso também depende da marca do produto. "Diversas indústrias produzem preenchedores contendo ácido hialurônico, e algumas marcas apresentam uma tecnologia associada ao produto para aumentar sua durabilidade", conta a dermatologista Gladys Mouessati Abud Mattei, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Pós-procedimento Os efeitos colaterais pós-procedimento podem variar de pessoa para pessoa. No primeiro dia, pode ocorrer um inchaço importante. Isso porque o ácido hialurônico tem o poder de atrair água, aumentando o volume dos lábios numa proporção maior do que o desejado. Com o passar dos dias, esse efeito tende a desaparecer.

É importante se atentar aos cuidados depois de realizar o preenchimento labial. O paciente deve seguir algumas recomendações; são elas:

Não manipular (tocar), massagear ou comprimir a área tratada Evitar o uso de maquiagem no dia da aplicação Evitar fazer esforço físico Evitar exposição ao sol Não aplicar cremes e pomadas na região no período de 48 horas Evitar fazer procedimentos estéticos como microagulhamento, limpeza de pele e peeling por 30 dias. A dermatologista Ana Lucia aconselha usar apenas gelo nos lábios após o procedimento, de forma que não aperte o preenchimento recém-feito. Vale lembrar que alguns lábios incham enquanto outros não - depende da habilidade do especialista que aplica a substância. O resultado pode ser notado entre cinco e sete dias.

Anestesia e dor Os especialistas afirmam que pode haver dor no preenchimento labial, mas é considerada leve, já que na maioria das vezes o paciente é anestesiado antes do procedimento.

"Os anestésicos tópicos, mesmo os mais potentes, ainda permitem algum nível de dor. Com a anestesia injetável, o procedimento é praticamente indolor. O paciente só irá sentir as picadas necessárias para que seja feita a anestesia", diz o cirurgião dentista Rogério Marques.

A dermatologista Ana Lucia ainda explica que, sem anestesia, o preenchimento labial pode gerar desconforto principalmente para quem é sensível à dor.

Reversão do preenchimento labial Caso o paciente não queira mais ter os lábios preenchidos, é possível, dependendo do caso, reverter a situação. Veja como!

Reversão de temporários: a reversão é feita com a enzima hialuronidase que degrada o ácido hialurônico. Entretanto, toda vez que essa substância é usada, além de destruir o produto injetado, ela também degrada o ácido hialurônico natural do organismo.

Reversão de semi-permanentes: os preenchimentos labiais semi-permanentes costumam durar cerca de dois anos. Caso ocorra algum problema com o preenchimento nesse período, não há reversão imediata, como nos temporários. Geralmente o médico precisa avaliar a situação individualmente para decidir o que é possível fazer a respeito.

Reversão de permanentes: neste caso, não se remove o material injetado nos lábios, justamente por ser permanente. Para reverter esse tipo, apenas com procedimento cirúrgico, que pode deixar sequelas no paciente.

Diferença entre preenchimento labial e botox Muitas vezes associamos o botox com o preenchimento labial, mas os dois procedimentos são completamente diferentes um do outro e com indicações diferentes.

Segundo a dermatologista Gladys, o botox é utilizado para o tratamento de rugas e linhas de expressão, provocando o relaxamento do músculo que causa a ruga. Já o preenchimento labial é utilizado para dar volume ou corrigir o contorno da região.

Preço do preenchimento labial O preço pode variar de acordo com diversos fatores, como a escolha do profissional, a técnica e marca do produto. Dessa forma, o valor pode ir de 1500 à 4 mil reais. É importante mencionar que o paciente deve buscar um especialista experiente no procedimento e que use bons produtos.

Referências Ana Lucia Gualda Recio, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. (CRM-SP 49039)

Gladys Mouessati Abud Mattei, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. (CRM-SP 132042)

Alberto Pinto Cordeiro, dermatologista da Clínica Horaios, que realiza o procedimento dentro da Clínica Ateliê Oral. (CRM-SP 125757)

Marcelo Kyrillos, cirurgião dentista e sócio-diretor da Clínica Ateliê Oral. (CRO-SP 43666)

Rogério Albuquerque Marques, cirurgião dentista, Mestre e Doutor pela USP, especialista em implantodontia, pós graduado em harmonização orofacial. (CRO-SP 70016)

Luís Felipe Maatz Ramos, cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. (CRM-SP 129318).




Contato