cirurgias-reconstrutoras-quais-as-mais-realizadas-e-quando-ha-necessidade-de-fazer

Cirurgias reconstrutoras: quais as mais realizadas e quando há necessidade de fazer?

15/03/18 - Hospital Sírio-Libanês


De acordo com o último Censo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), em 2016, foram registradas 664.809 cirurgias reparadoras no Brasil, procedimento para casos de deformidades congênitas ou adquiridas. Destas, as mais realizadas foram:

- Tumores cutâneos/pele (253.891): Consiste na retirada parcial ou total de lesões de pele (benignas ou malignas), respeitando as características da patologia e buscando o melhor resultado estético-funcional possível.

- Pós obesidade (68.379): Corrige as deformidades provocadas pelo emagrecimento, reduzindo o que sobrou de gordura e remodelando a flacidez cutânea.

- Reconstrução mamária (62.681): Normalmente, realizada após uma mastectomia (retirada da mama, de forma parcial ou total, para remover ou pre; venir o câncer de mama). É feita através de várias técnicas que tentam restaurar a mama, considerando forma, aparência e o tamanho após a mastectomia.

- Revisão de cicatrizes (48.119): Diminui a cicatriz de modo que fique mais uniforme com o seu tom de pele e a textura circundante. Apesar de a correção proporcionar bom resultado estético ou melhorar uma cicatriz que tenha má cicatrização, esta não pod e se r com p leta mente apagada.

- Acidentes urbanos (31.053): Batidas de carro, agressões na rua e quedas são alguns dos acidentes urbanos. Os procedimentos dependem do tipo e da gravidade do caso. Pode envolver desde uma cirurgia de risco até técnicas menos complexas. De qualquer forma, é provável que haja posteriormente um acompanhamento médico para evitar possíveis infecções.

- Ginecomastia (31.031): Corrige o crescimento anormal das mamas em homens, por meio de uma cirurgia nas glândulas mamárias. E indicada quando há excesso de gordura localizada, excesso de desenvolvimento do tecido glandular ou quando há combinação de ambos: excesso d e tecid o ad i poso e g la nd u lar. A ginecomastia pode ocorrer unilateral ou bilateralmente.

- Queimados (31.024): Ocorre em queimaduras de segundo grau profundo ou terceiro grau. Casos mais graves podem demandar cirurgias com enxertos (partes de pele saudável do paciente são implantadas no local atingido) ou retalhos (implantação de pele e tecido irrigado por artérias na área acometida).

- Acidentes domésticos (23.426): Queimadura, afogamento, alergia, intoxicação, cortes, choque elétrico, quedas e asfixia são alguns dos acidentes domésticos. São muito comuns e ocorrem todos os dias, resultando em lesões, ferimentos e até em mortes. O procedimento depende do caso e da gravidade, podendo ser cirúrgico ou não. Cabe apenas ao médico avaliar a gravidade e definir qual será o tratamento.

- Fissuras lábiopalatinas (7.598): A reparação do lábio leporino (fissura no lábio superior) eda fenda palatina (perfuração no céu da

boca) é um tipo de cirurgia plástica que corrige o desenvolvimento anormal, visando restaurar a função e deixar a aparência mais próxima do normal.

Vale lembrar que o ideal é sempre procurar um especialista que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Nos casos emergenciais/graves citados acima, não tente prestar socorro à vítima, se você não for habilitado. Ligue imediatamente para o SAMU (192) e siga as instruções dos profissionais médicos, até chegar o socorro.

Por Dr. Luís Felipe Maatz, Cirurgião Plástico, Especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP); Especialista em Reconstrução Mamária pelo Hospital Sírio-Libanês Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).




Contato